O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou o debate da reforma da Previdência para 5 de fevereiro, e o início da votação para logo depois do Carnaval, a partir do dia 19 do mesmo mês.

Depois de se reunir nesta quinta-feira (14) com o relator da proposta, Arthur Maia (PPS-BA), o presidente da Câmara disse que foram feitos alguns ajustes no relatório que será lido em plenário ainda nesta quinta, a partir das 15h.
 
Segundo Rodrigo Maia, houve “contaminação” do texto inicial e uma “comunicação pouco efetiva”, mas até fevereiro haverá todas as condições para colocar a proposta em pauta.
 
“A recepção da sociedade já melhorou muito, tende a melhorar nas próximas semanas. No dia 19, a matéria vai estar pronta para pauta e vamos começar a votação da reforma da Previdência. A data está colocada para que cada deputado possa organizar sua programação e para que a gente possa votar essa matéria. Espero eu que a gente possa ter essa matéria aprovada porque é fundamental para o Brasil”, declarou o presidente da Câmara.

Guiomar Vidor, presidente da Fecosul e CTB-RS, recebeu a notícia com otimismo. "O recuo do governo significa que nossa intensa mobilização surtiu efeito. Agora é intensificar a luta para que em fevereiro, caso seja votada, a matéria seja derrubada", afirmou.

O movimento sindical no RS já articula agenda de ações e manifestações para os próximos dois meses.

Texto: Juliana Figueiró Ramiro - Assessoria Fecosul com Agência Brasil