Na tarde desta terça-feira, 27, mesmo após tentativa de articulação das Centrais e deputados de construir emenda ao projeto de reajuste do Piso encaminhado pelo governo, deputados da base aliada conseguem aprovar projeto do governo, sem apreciação das emendas, que reajusta o salário em 1.81%, isto é, abaixo da inflação.

Para Guiomar Vidor, presidente estadual da CTB, o voto da maioria dos deputados que aprovou a proposta do governo Sartori, que, pelo segundo ano consecutivo, concede reajuste inferior aos índices da inflação do ano para o Salário Mínimo Regional, é despropositada e contra os trabalhadores.

"A CTB irá denunciar a atitude do governo e dos deputados anti-trabalhador, que apoiam o arroxo salarial. Repudiamos, ainda, a falta de diálogos por parte do governo, que sequer aceitou discutiu uma proposta intermediária de reajuste construída junto a vários deputados da base e da oposição, que estabelecia reajuste de 2,95% (IPCA do último ano)", afirma Vidor.

Ainda no entendimento do sindicalista, "ao insistir na política do arroxo, o governo penaliza mais de 1,5 milhão de trabalhadores e trabalhadoras que são beneficiados diretamente pelo Salário Mínimo Regional, restringindo o poder de compra e, assim, contribuindo para um processo de recessão", destaca Vidor.

Abaixo, veja os deputados que votaram contra os trabalhadores no reajuste do Salário Mínimo Regional:

Texto: Juliana Figueiró Ramiro | Assessoria de Comunicação Fecosul