Com o fim do recesso parlamentar, existe a possibilidade – e o governo Temer tenta se articular para isso – de que a reforma da previdência entre na pauta da Câmara dos Deputados. A previsão é que a votação ocorra no dia 19 de fevereiro.

No Rio Grande do Sul, centrais sindicais e movimentos sociais intensificam as ações contra a reforma, e promovem intensa agenda de mobilizações, que inclui ato no aeroporto, plenárias e um dia nacional de luta. De acordo com Guiomar Vidor, presidente da CTB-RS, as atividades têm dois objetivos: denunciar o governo e tentar barrar a votação.
“Mais do que nunca, precisamos intensificar as ações nas bases eleitorais dos parlamentares e, paralelo a isso, construir ações em defesa da aposentadoria e que denunciem os retrocessos desta reforma”, apontou.

Nacionalmente as centrais também estão articuladas e prometem tomar o país em defesa da aposentadoria. “Unidade e resistência nesta etapa será fundamental. A CTB orienta seus sindicatos, federações e confederações a construir ampla jornada de luta com a realização de assembleias, plenárias regionais e estaduais, panfletagens, blitz nos aeroportos e reforçar, nos estados, a pressão nas bases dos parlamentares”, conclamou o presidente nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo.

Confira programação de atividades e participe:

06 de Fevereiro
4h30 - Ação no Aeroporto – Concentração no Laçador.

09 de Fevereiro
9h30 - Reunião das Centrais Sindicais ampliada com a Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, movimentos sociais.
Local – Auditório da Fecosul

16 de Fevereiro
10h – Plenária das Centrais Sindicais, FBP, FPSM e Movimentos Sociais
Local – Sindbancários

19 de Fevereiro
Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência
Se botar pra votar o Brasil vai parar!

Texto: Juliana Figueiró Ramiro | Assessoria de Comunicação Fecosul