Dados foram apresentados, na manhã de ontem, durante lançamento de campanha salarial da classe

Nas cidades de Lajeado, Estrela e Arroio do Meio há 9.575 trabalhadores que atuam no comércio. O número representa 20% dos empregos na região. O porcentual de homens é de 51%, e o de mulheres, de 49%, com a idade média de 33 anos. Os dados foram apresentados no Café com Informação, pela técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Daniela Sandi. O evento foi realizado no Estrela Palace, em Estrela, na manhã de ontem, e também contou com o lançamento da campanha salarial aos trabalhadores do comércio de Lajeado, Estrela, Arroio do Meio, Cruzeiro do Sul, Muçum, Progresso, Pouso Novo e Boqueirão do Leão. 

Sobre os municípios da região, Daniela também divulgou que o salário médio do comércio em 2016 foi de R$ 1.189, sendo que 36% do valor foi gasto em cesta básica no Vale do Taquari. A indústria de transformação ficou em R$ 1.875, e os que atuam na área de serviço ficaram com média salarial de R$ 2.081. 

Conforme ela, 500 vagas foram fechadas em 2015. Daniela ainda ressaltou que, até o ano de 2014, o setor cresceu acima do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Sobre as perspectivas do comércio em 2017, ela frisou que entidades como a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Fecomércio RS e Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) estão otimistas. A Fecomércio, segundo ela, prevê crescimento de 4,80%; a Fiergs, de 0,40%; e a Farsul, de 0,80%. “O comércio conta com um número importante de trabalhadores e grandes, médias e pequenas empresas que movimentam a nossa economia”, enfatizou Daniela. 

O supervisor técnico do Dieese, Ricardo Franzoi, falou sobre as questões que ainda permanecem no Congresso para votação, como a Reforma da Previdência, lei da terceirização, trabalho intermitente (pagamento por horas), entre outros. Franzoi também destacou que o salário do brasileiro é baixo em comparação com outros países. “Se acompanhasse a inflação, o salário mínimo seria menos de R$ 500.” Sobre o PIB, citou que o crescimento foi de quase 40% nos últimos anos quando a infl ação era baixa. “É preciso valorizar o real para a infl ação cair. Para que isso ocorra, é necessário aumentar a taxa de juros.” Franzoi ainda lembrou que os metalúrgicos foram uma das classes mais atingidas com a crise. “A categoria teve o aumento parcelado. As classes precisam lutar para garantir os direitos. O trabalho precisa ser valorizado.”

Campanha salarial e reajuste

O presidente do Sindicomerciários, Marco Daniel Rockenbach, lançou a campanha salarial de 2017, que consiste na doação de um litro de leite ao sindicato. O objetivo é mostrar aos empresários que o reajuste solicitado pela categoria, que é de 4,69% mais 2%, representa apenas o poder de compra de um litro do produto por dia. O que foi arrecadado será doado para a Sociedade Lajeadense de Atendimento à Criança e ao Adolescente (Slan), Pousada das Crianças de Estrela e Associação dos Menores de Arroio do Meio (Amam). Quando se encerrarem as negociações do acordo coletivo, que tem a data-base em 1º março, os produtos serão entregues às entidades. 

“A luta é árdua, mas precisamos enfrentar a realidade na mesa de negociação. Sabemos que é difícil tornar os números realidade no bolso do trabalhador. Com a campanha, queremos dizer que o valor que solicitamos não é tão alto.” O representante da Federação dos Empregados no Comércio de Bens e Serviços do Rio Grande do Sul (Fecosul) e do Sindicato de Santa Maria, Rogério Ferreira, chamou atenção para que os trabalhadores se mobilizem contra a Reforma da Previdência. “Não podemos perder a oportunidade de debates. Não será fácil a caminhada, mas temos que nos unir. O trabalho tem que ser valorizado".

Saiba Mais

O setor do comércio, segundo dados apresentados pelo Dieese, representa 12% da economia brasileira, e a indústria de transformação, 11,4%. O comércio é dividido em três setores, como varejo (42,9%), atacado (44,9%) e veículos, peças e motocicletas (13%). No Brasil, há 9,5 milhões de trabalhadores na área, e no RS, 628 mil.

Fonte: Informativo do Vale