Em seu primeiro ato, o governo Bolsonaro desnuda seu caráter plutocrático, decretando o valor de miseráveis R$998 para o salário mínimo, R$ 8 a menos do que previsto no OGU.

O presidente "Mito", que prometia valorizar o salário mínimo, parece que mudou de ideia e resolveu, mais uma vez, agradar aos poderosos e deixar ao abandono os milhões de trabalhadores e trabalhadoras que acreditaram em suas mentiras de campanha.

Nosso dever é denunciar e resistir aos retrocessos que serão armados por este governo contra o Brasil e os brasileiros.

Guiomar Vidor, presidente Fecosul e CTB-RS