No dia de hoje, a Fecosul encaminhou posicionamento da entidade frente a situação crítica do estado para o governador Eduardo Leite. A Federação ainda pede providências do governo.

Entre os pedidos estão:

- Testagem em massa da população de forma gratuita;

- Efetivar a compra de imunizantes por iniciativa própria ou consorciada conforme as disposições da legislação recentemente aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Governo federal em 10 de março de 2021;

- Pressionar de maneira permanente o Governo Federal para que se utilize de todos os mecanismos legais e diplomáticos para a aquisição e distribuição dos imunizantes;

- Instalação emergencial de postos de atendimento e de hospitais de campanha para serviços de atenção básica, desafogando o sistema e destinando a estrutura convencional para atendimento dos casos de COVID;

- Defender publicamente a quebra temporária das patentes para viabilizar a universalização da produção de imunizantes;

- Criação da Renda Básica Estadual Emergencial nos moldes em que foi sugerida pelo Deputado Estadual Valdeci Oliveira e que está em estudo pela equipe econômica do Governo do Estado;

- Exigir do Governo Federal a implementação de políticas de geração de emprego e renda;

- Ao persistir a caótica situação em todo o sistema de saúde, comprovada pelo total esgotamento da capacidade de atendimento emergencial e da impossibilidade do sistema hospitalar em absorver a crescente demanda de internações, torna-se uma exigência o Governador do Estado lançar mão de suas prerrogativas constitucionais e decrete o chamado “lockdown” por um período de duração recomendado pela ciência, como único instrumento comprovadamente capaz de salvar vidas.