No último dia 25 de março, em Brasília, mais de 25.000 dirigentes e ativistas sindicais de todos os estados, realizaram na frente do Congresso Nacional, um grande ato em defesa da Unicidade Sindical, do Emprego e dos Direitos Trabalhistas, com Geração de Emprego e Renda; Contra a Despedida Imotivada – pela aprovação da PLP 33/88 (Paulo Paim – PT/RS); Redução da Jornada de Trabalho, pela aprovação da PEC 393/01 (Inácio Arruda PC do B-CE e Paulo Paim PT-RS); Política Salarial e Recuperação da Perdas; Recuperação do Salário Mínimo; Extinção do Fator Previdenciário; e Redução dos Juros. Do Estado do Rio Grande do Sul, participaram diversos companheiros das mais variadas categorias. A FECOSUL, conjuntamente com a Federação de Turismo e hospitalidade; Fitedeca e Sindicato da Saúde de Caxias do Sul, participaram com uma delegação de 42 pessoas que foram de ônibus até a capital federal, além de outros delegados que viajaram de avião. A delegação da CNTC em nível nacional teve a presença de aproximadamente 2.000 companheiros, que representa 8% do total de participantes. O Secretário Geral da FECOSUL – Moacir Leiria Sales, um dos participantes do ato, falou em nome dos Trabalhadores Gaúchos, alertou este que todas as reformas ou alterações na legislação trabalhista sempre trazem prejuízos irreversíveis. Citou o dirigente o caso das Cooperativas, que com a simples inclusão de um Parágrafo Único no art. 442 da CLT, vem possibilitando a contratação de mão de obra por Cooperativas Fraudulentas, que só beneficiam seus dirigentes em detrimento dos trabalhadores. Disse ainda que a Lei Pelé que foi aprovada pelo Congresso Nacional, está acabando com os Clubes de Futebol, que formam os atletas desde da infância e depois são levados por empresários ao exterior sem que o clube seja ressarcido de qualquer valor pela formação desse atleta. A maioria dos dirigentes que falaram, fizeram suas intervenções criticando o Fórum Nacional do Trabalho, já que as Plenárias Estaduais discutidas e aprovadas em todos os Estados deste País, foram jogadas suas resoluções no lixo. A unanimidade dos participantes desta mobilização não aceitam de maneira alguma a retirada ou a flexibilização de qualquer direito assegurado em lei, que possa ser prejudicial aos trabalhadores, assim como reafirmaram seu apoio a Unicidade Sindical e a manutenção da Contribuição Sindical. O FÓRUM SINDICAL DOS TRABALHADORES – FST, é composto pelas seguintes entidades: CNTI; CNTC; CNTTT; CNPL; CONTTMAF; CONTEC; CONTAG; CONTCOP; CNTEEC; CNTM; CONTRATUH; CNTA; CNTS; CSPB; CONTEE; CNTV; COBRAPOL; CGT; CGTB; CAT; CSTE; USI; CCT