Realizado no dia 22 de março, o Dia Nacional de Lutas reuniu milhares de trabalhadores, que protestaram contra a Reforma da Previdência e a retirada de direitos, proposta pelo governo Bolsonaro.

No Rio Grande do Sul, no final do dia, aconteceu grande ato no Centro de Porto Alegre, na esquina democrática – local simbólico para a luta dos trabalhadores. Durante o dia, diversas categorias promoveram atividades com a mesma temática. E as manifestações não ficaram restritas à capital.


Cidades como Ijuí, Lagoa Vermelha, Caxias do Sul, Taquari, Palmeira das Missões, Viamão, entre outras, promoveram atividades locais, com adesão de diversas categorias. De acordo com Guiomar Vidor, presidente da Fecosul e CTB-RS, “a adesão dos trabalhadores demostra a insatisfação de todos com relação à reforma e demonstra que nossa greve geral terá potência. Vamos parar o Brasil e parar a retirada de direitos”, destacou o presidente.

O Dia Nacional de Lutas foi convocado de fora unitária pelas centrais e, na avaliação coletiva, foi muito exitoso. “A unidade das centrais se faz fundamental nesse momento história de resistência. Vamos lutar e vamos sair vitoriosos”, destacou Vidor.

A Greve Geral, ainda sem data marcada, está prevista para o mês de abril.

Texto: Juliana Figueiró Ramiro – Assessoria de Comunicação Fecosul