O Sindicato dos Empregados no Comércio (Sindicomerciários) reuniu os comerciários de Caxias do Sul, Flores da Cunha, São Marcos e Nova Pádua no auditório da entidade na noite de terça-feira, 20 de fevereiro, para a Assembleia Geral, realizada para debater o futuro do sindicato após a Reforma Trabalhista, sua sustentabilidade e a manutenção dos mais de 30 mil atendimentos que a entidade presta anualmente.

A assembleia, que vinha sendo divulgada amplamente durante quase um mês, através de propagandas nas rádios, publicação de editais, jornal da entidade, redes sociais e, de correspondência encaminhada a todos os associados, foi muito importante para debater alternativas, aprovando, ou não, a Contribuição Sindical, fundamental para a continuidade das atividades e serviços.

A deliberação sobre a previsão de desconto da contribuição de toda a categoria foi aprovada por unanimidade durante a Assembleia Geral, com o auditório praticamente lotado, de acordo com a nova reforma da CLT (Lei 13.467/2017), autorizando assim, de maneira coletiva prévia e expressa, independentemente de associação ou sindicalização, o desconto de contribuição sindical dos integrantes da categoria em favor do Sindicato, referente ao ano de 2018.

Além dos atendimentos, o presidente do Sindicomerciários reforçou aos presentes da importância da luta sindical, “mesmo com a forte crise e a Reforma Trabalhista, o sindicato conseguiu fechar a reposição da inflação e, em algumas categorias, obteve aumento real, além de assegurar as cláusulas sócias, garantindo aos trabalhadores e trabalhadoras o auxílio-creche, triênio e qüinqüênio, pré-aposentadoria de 12 meses, piso da categoria e para comissionados, repouso semanal remunerado sobre as comissões, igualdade salarial, 13° salário para comissionados, quebra de caixa, prazo mínimo para contrato de experiência, delimitação do banco de horas, proibição ao prorrogamento de jornada de trabalho para estudantes, fornecimento gratuito de uniforme, prêmios em domingos e feriados, entre outros”, recordou.

Guiomar Vidor, presidente da Federação dos Comerciários do Rio Grande do Sul (Fecosul) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-RS) e membro da diretoria do Sindicomerciários, resgatou a história e importância do sindicato caxiense. Guiomar também fez uma análise da conjuntura política e econômica, bem como dos retrocessos trazidos pela reforma Trabalhista, que “só não são piores porque a entidade garantiu a manutenção de muitos direitos para 2018 através das Clausulas sociais, aprovadas durante a última Convenção Coletiva”.

Outro assunto debatido, e aprovado, pelos comerciários, foi uma pequena readequação dos valores cobrados por alguns serviços médicos e odontológicos, que, segundo Silvio Frasson, presidente da entidade, “muitas vezes, se comparados com os valores de mercado, não chegam a 20% do que é cobrado fora da entidade”. Somente no ano de 2017 foram mais de 30 mil atendimentos: 10.233 atendimentos médicos, 17.371 odontológicos, 2.045 psicológicos e psiquiátricos, além de outros serviços na área jurídica e atendimento geral para a categoria.

Fonte: Assessoria do Sindicato