O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta terça-feira (15) que o presidente Jair Bolsonaro deve dar o "sinal verde" sobre a proposta de reforma da Previdência Social após a viagem a Davos, onde participará do Fórum Econômico Mundial.

Onyx deu a declaração em uma entrevista coletiva, após se reunir em Brasília com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Bolsonaro participará na semana que vem, entre os dias 22 e 25, do fórum na Suíça e, segundo Paulo Guedes, deve enviar a proposta ao Congresso quando os novos parlamentares tomarem posse, em fevereiro.

"[Integrantes do governo] estão, agora, dando os toques finais nesse processo para que, até domingo [20], possa apresentar ao presidente, para que o presidente use esse período da viagem a Davos para ler, se aprofundar", afirmou Onyx nesta terça-feira.

"O ministro Paulo Guedes vai acompanhá-lo em Davos, de tal forma que vão poder discutir [a proposta], para que, na volta, antes da cirurgia, o presidente possa dar o sinal verde para que as equipes concluam o processo da reforma e a gente possa apresentar ao Congresso", acrescentou.

Onyx Lorenzoni disse que todas a áreas do governo estão de acordo com a proposta em discussão internamente. Ele não quis, contudo, adiantar trechos do projeto.

Na semana passada, Paulo Guedes já havia dito que o governo estudar propor regime de capitalização ao apresentar a proposta de reforma da Previdência.

A capitalização é uma espécie de poupança que o próprio trabalhador faz para assegurar a aposentadoria no futuro.

O regime atual é o de repartição, pelo qual o trabalhador ativo paga os benefícios de quem está aposentado.

“As equipes estão alinhando aquilo que o ministro Paulo Guedes sempre defendeu que é fazer o remendo no atual sistema, a recuperação do atual sistema, e poder oferecer para as novas gerações um novo caminho”, disse Onyx.

Fonte: G1